Orquestra de Jazz de Águeda

Inspirada na tradição do jazz, a Orquestra de Jazz de Águeda surge em 2016 e constitui-se como um laboratório para a produção de música. Mantendo a identidade da big band a Orquestra procura dar resposta as linguagens modernas e abraçar novos desafios criativos. Na procura de novos caminhos sonoros a OJA constitui-se com um coletivo de músicos de relevo na área, criando uma sonoridade moderna e única, emergente no panorama nacional e internacional.

Temporada #1
Orquestra de Jazz de Águeda “UP Time”

Na sua primeira temporada a Orquestra de Jazz de Águeda apresenta um concerto com um repertório de jazz tradicional de compositores como Duke Ellinngton ou Thad Jones. Para além do repertório clássico para big band a OJA estreou-se composições do portugueses João Mortágua (saxofonista) e Andreia Santos (trombonista) referencias na área do jazz da atualidade internacional.

  • Take the “A” Train, by Billy Strayhorn, arranged by Don Sebesky
  • Stolen Moments, by Oliver Nelson, arranged by Oliver Nelson
  • Groove Merchant, by Jerome Richardson, arranged by Thad Jones
  • Eclipse by Jovino, by Santos Neto, arranged by Jovino Santos Neto
  • Hora de Ponta, by Andreia Santos, arranged by Andreia Santos
  • Perante, by João Mortágua, arranged by João Mortágua


Direção Musical: Leonardo Pellegrim
Madeiras: João Mortágua, Rodrigo Neves, Tomás Marques, Nádia Moura
Trompete: Brian Carvalho, João Condesso, Fábio Martins, Jorge Leitão
Trombone: Samuel Barros, Gabriel Dias, Andreia Santos, João Evangelista, Rui Bandeira.
Secção Rítmica: Vasco Miranda (piano), Bruno Pinho (guitarra), Miguel Calhaz (contrabaixo) e Chico Cardoso (bateria).

Temporada #2
Orquestra Jazz Águeda e Miguel Calhaz “Tributo a Zeca Afonso”

Um incrível tributo à obra de José Afonso, com arranjos dos compositor Vasco Miranda e Rodrigo Neves. Novo jazz em português para bigband num concerto onde a energia e a criatividade se misturam com a sensibilidade e a força emotiva das canções  de um dos maiores nomes da musica em Portugal. As compositores frescas e a forma como a interpretação fresca e moderna trazem um olhar moderno à obra de Zeca Afonso. A oportunidade de reunir um dos maiores coautores da atualidade, com um elenco de músicos para tocar arranjos orquestrais é um momento único, onde a forma como a música de Zeca Afonso é interpretada num ambiente de modernidade e uma linguagem sofistica.


Direção Musical: Leonardo Pellegrim
Voz e contrabaixo: Miguel Calhaz
Madeiras: João Mortágua, Rodrigo Neves, Tomás Marques, Leonardo Pellegrim, Nádia Moura
Trompete: Brian Carvalho, João Condesso, Fábio Martins, Jorge Leitão
Trombone: Samuel Barros, Gabriel Dias, Andreia Santos, João Evangelista, Rui Bandeira.
Secção Rítmica: Vasco Miranda (piano), Bruno Pinho (guitarra), Rogério Pitomba (bateria) e João Cação (contrabaixo).

  • Índios da Meia Praia, by Zeca Afonso, arranged by Vasco Miranda
  • Balada de Outono, by Zeca Afonso, arranged by Vasco Miranda
  • Milho Verde, by Zeca Afonso, arranged by Vasco Miranda
  • Tinha uma sala mal iluminada, by Zeca Afonso by Rodrigo Neves
  • Epigrafe para a arte de furtar, by Zeca Afonso by Vasco Miranda
  • Que o Amor não me engana, by Zeca Afonso by Vasco Miranda
  • Maio maduro Maio,by Zeca Afonso by Rodrigo Neves

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo